Óleo para Redutor em Itararé

Qual Óleo para Redutores de Velocidade é o mais recomendado?

Quando a caixa de redução estiver operando próxima a uma fonte de calor, é necessário o uso de um Óleo para Redutor de Velocidade com uma viscosidade elevada que compense este aumento de temperatura e um Óleo para Redutor 220 ou um Óleo para Redutor 320 poderá ser empregado. Para os redutores de velocidade onde as engrenagens são cilíndricas, cônicas de dentes retos ou helicoidais, ou as do tipo espinhas de peixe, o Óleo para Redutor de Velocidade não pode ter uma viscosidade muito baixa, para que este não seja expelido pelo giro dos dentes e também não pode ser muito viscoso para não gerar perda de potência, sendo ideal o uso de um Óleo para Redutor 90 ou um Óleo para Redutor 150. Para aplicações onde o equipamento estiver em locais frios, um Óleo para Redutor de Velocidade que possua uma baixa viscosidade é o recomendado e o Óleo para Redutor 32 é o mais indicado para esta aplicação.

Qual a melhor Especificação do Óleo para Redutor

A especificação do Óleo para Redutor deve informar que o lubrificante possui aditivação antioxidante para que este consiga proteger as partes metálicas da caixa de engrenagem. A especificação do Óleo para Redutor deve garantir que o lubrificante tenha uma aditivação suficiente para proteger do atrito e do desgaste as faces metálicas das engrenagens do redutor. A especificação do Óleo para Redutor Industrial deve garantir que o lubrificante não ataque os selos de vedações do sistema, para assim evitar que ocorram rompimentos das vedações e gere vazamentos.

Conheça nossa Linha de Óleo para Redutor em Itararé

O que pode Ocorrer com o uso de um Óleo Redutor de Atrito inadequado?

Um Óleo Redutor de Atrito de má qualidade que não consegue refrigerar o sistema e impedir o aumento da temperatura do sistema poderá de comprometer as vedações, causar oxidação e como consequência ocorrerá o encurtamento da vida útil das engrenagens. O grupo de engrenagens dentro da caixa de redução exige muita energia para estas entrarem e se manterem em movimento em razão do grande atrito que ocorre entre os dentes, com consequência ocorre o aumento da temperatura do equipamento e o uso de um Óleo Redutor de Atrito de má qualidade ou inadequado pode comprometer a lubrificação do sistema. O Óleo Redutor de Atrito que não consiga lubrificar adequadamente o sistema de dentes do redutor por ter a sua viscosidade alterada durante o processo, pode ocasionar a não formação do filme lubrificante entre as engrenagens, gerando um aumento da temperatura, do atrito e do desgaste das engrenagens.

Óleo Sintético para Redutor e Óleo Mineral para Redutor, qual é a diferença?

O Óleo Mineral para Redutor que é um lubrificante formulado com Óleos Minerais Básicos derivados da destilação do petróleo é muito utilizado devido a possuir um baixo custo e por poder ser empregado na lubrificação de diversos tipos de caixas redutoras com engrenagens tanto as abertas como as fechadas. De acordo com estudos técnicos avançados, dados confirmam que um redutor lubrificado com Óleo Mineral para Redutor pode operar por no máximo 4.000 horas até que seja necessária a sua troca, sendo que para um mesmo equipamento nas mesmas condições de operação, um Óleo Sintético para Redutor a base de Polialfaolefina (PAO) consegue operar até 9.000 horas, enquanto o Óleo Sintético para Redutor formulado a base de Poliglicol (PG), consegue lubrificar por aproximadamente 13.000 horas, até que seja necessária à sua substituição. O Óleo Sintético para Redutor geralmente é formulado com compostos químicos a base de Polialfaolefina (PAO) ou Poliglicol (PG) e como característica principal possui uma elevada resistência às altas temperaturas em relação ao Óleo Mineral para Redutor.

O que é um Óleo para Redutor de Velocidade?

Em um redutor de velocidade as engrenagens deste sistema operam aos pares, com os dentes de uma engrenagem se encaixando nos dentes de outra e como há a geração de atrito entre estes dentes, para evitar o desgaste e o travamento do sistema é utilizado na lubrificação um Óleo para Redutor de Velocidade. Geralmente um redutor de velocidade é acoplado a uma saída de um motor que opera em alta velocidade ou ele é ligado a outro equipamento mecânico com menor velocidade de rotação, mas com elevado torque, mas em ambos os casos as engrenagens do sistema são banhadas em um Óleo para Redutor de Velocidade que tem a função de diminuir a temperatura provocada pelo atrito das engrenagens do sistema. Um redutor de velocidade que também recebe a denominação caixa de engrenagem é um mecanismo composto de rodas dentadas que se ligam a um eixo rotativo ao qual geram um movimento e para que este sistema funcione adequadamente, ele é lubrificado com um Óleo para Redutor de Velocidade.

Conhecendo um pouco mais das Aplicações do Óleo para Redutor

Para que um Óleo para Redutor industrial consiga formar uma película lubrificante protetora junto às engrenagens quando estas sofrerem uma carga maior, este deve conter em sua formulação um pacote de aditivos de extrema pressão. Nos equipamentos e caixas redutoras que apresentem um elevado grau de redução com diversos jogos de engrenagens, o Óleo para Redutor industrial precisa possuir uma viscosidade devidamente dimensionada para atender a lubrificação do pinhão de mais baixa velocidade, pois quanto maior é a velocidade do pinhão, menor deverá ser a viscosidade do Óleo para Redutor de Velocidade e vice-versa. As engrenagens das caixas redutoras podem ser lubrificadas pelo Óleo para Redutor Industrial através do bombeamento do lubrificante que é salpicado sobre as engrenagens ou por imersão, onde as engrenagens ficam mergulhadas no lubrificante.