Sistema de Filtragem de Óleo Industrial

Os equipamentos industriais vêm evoluindo muito com o passar do tempo, tornando-se mais modernos, com componentes cada vez menores e mais leves. Essa evolução traz consigo uma maior eficiência e precisão de operação que ampliam a produtividade. Mas isso de nada adianta, a longo prazo, se não houver um cuidado especial com a manutenção.

Especialistas apontam que cerca de 80% das falhas em máquinas e equipamentos são causadas por contaminação de fluidos. Por isso, o uso de um bom sistema de filtragem de óleo é essencial, como parte da manutenção preventiva, na preservação de funcionamento e na ampliação da vida útil do maquinário.

Por que ocorre a contaminação do óleo lubrificante?

Mesmo com todo o cuidado nas rotinas diárias é difícil evitar a contaminação do óleo lubrificante, que pode ser física ou química. No primeiro caso, micropartículas resultantes da erosão, do desgaste mecânico, poeira, ferrugem e outros componentes duros e abrasivos acabam circulando no fluido e provocam degradação das superfícies metálicas, ao longo do tempo.

Já na contaminação do óleo, por meio químico, temos como principal causador a oxidação formada em altas temperaturas por alguns catalisadores e pelo aumento do oxigênio, no caso de vazamentos no sistema, ou mesmo nos processos de manutenção, abastecimento e montagem.

Qual a importância da filtragem de óleo industrial?

O processo de filtragem de óleo industrial é responsável por eliminar o máximo de impurezas possível do lubrificante, como partículas sólidas e excesso de água, por exemplo. Dessa forma, é possível ampliar a disponibilidade do maquinário, evitando paradas indesejadas, além de aumentar a vida útil operacional dos equipamentos.

Ao adotar um bom sistema de filtragem de óleo, obtêm-se vantagens como o aumento do desempenho em geral, redução de falhas, a prevenção do desgaste prematuro de peças e oxidação de partes metálicas. Além disso, ainda é possível prolongar também a vida útil dos próprios fluidos, o que representa economia com a redução de troca periódica.

Quais os tipos de filtragem de óleo mais comuns?

Praticamente todos os óleos industriais podem ser filtrados. Alguns exemplos são: óleo diesel, óleo lubrificante industrial, óleo hidráulico, óleo de corte, óleo de compressor, sistema de filtragem de óleo solúvel, óleo isolante, filtragem de óleo térmico, etc.

Os tipos de filtragem de óleo mais comuns são aqueles também conhecidos como “filtração clássica”, a microfiltração (MF), nanofiltração (NF), ultrafiltração (UF), filtração macroscópica e a osmose reversa. Eles utilizam filtros de óleo industrial cada vez mais fechados e finos, com poros reduzidos.

Quais os sistemas de filtragem de óleo mais utilizados?

Existem dois sistemas de filtragem de óleo: o interno, que é integrado ao circuito, e o externo, que utiliza um circuito independente.

Os sistemas com filtragem interna bombeiam todo o óleo que passa através dos filtros, tanto na direção do fluxo quanto no seu retorno. Em condições normais é possível obter quase a totalidade de pureza do fluido, mas eles não garantem a retenção de partículas menores.

Já os sistemas de filtragem externa utilizam bombas e filtros separados para aspirar, filtrar e bombear o óleo do circuito e retorná-lo. Geralmente a capacidade de filtragem é maior, podendo reter partículas menores.

Para garantir uma boa filtragem do óleo é necessário realizar a troca periódica dos filtros e efetuar análises periódicas a fim de se avaliar a qualidade e o estado atual do fluido circulante no sistema.

Conclusão

De forma geral, quanto mais avançadas as tecnologias empregadas nas máquinas e equipamentos industriais, maior deverá ser o grau de limpeza de seus lubrificantes. Por isso, a filtragem e a análise do óleo são fundamentais para garantir a estabilidade da operação, além de propiciar um aumento da vida útil do equipamento.

Como anda o plano de lubrificação e o sistema de filtragem de óleo da sua empresa? Conte para gente. Se precisar de ajuda, não deixe de entrar em contato com nossos especialistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *