O que é demulsibilidade do óleo e qual sua importância?

Os óleos lubrificantes possuem uma série de características físico-químicas que, conforme suas variações, determinam a sua adequação a determinadas tarefas específicas. Análises laboratoriais (ensaios) são capazes de indicar as condições da substância quanto a vários fatores. Um deles é a demulsibilidade do óleo. Saiba o que é essa propriedade e qual a sua importância para o desempenho dos lubrificantes.

O que é demulsibilidade?

A demulsibilidade é definida pela capacidade que os óleos possuem de se separarem da água. Quanto mais rápida a separação, maior o índice de demulsibilidade do lubrificante. É o conceito contrário à emulsibilidade, que é a propriedade que um óleo lubrificante possui de se misturar com a água.

Qual a importância da demulsibilidade do óleo para os lubrificantes industriais?

A capacidade de separação da água é de grande importância para os lubrificantes que operam em climas úmidos ou em plantas industriais cujos processos exigem muita água, como laminação de aço, produção de papel/celulose, indústrias alimentícias, turbinas à vapor, compressores, sistemas hidráulicos, entre outros.

Sem a demulsibilidade, a água contaminaria completamente o óleo que perderia suas propriedades, podendo provocar desgaste das peças em movimento. Lubrificantes com índices de demulsibilidade reduzidos tendem a ficar turvos ou a formarem espuma, prejudicando sua capacidade de lubricidade.

Toda a água que penetra nos lubrificantes deve ser removida e isso é possível pela demulsibilidade natural dos óleos básicos, mesmo por mais densa que seja a grande maioria dos lubrificantes. A tendência da água é sempre se depositar nos fundos dos reservatórios ou cárters, que se forem adequados quanto ao tamanho e ao fluxo, permitirão facilmente sua drenagem.

Teste de demulsibilidade e emulsibilidade

A propriedade demulsibilidade de um óleo é medida, atualmente, por meio do método ASTM D 1401 ou DIN ISO 6614:2003. Nele se misturam água e lubrificante em determinadas quantidades e, após isso, mede-se a separação das fases através dos volumes de óleo, água e emulsão, ao longo do tempo.

Existem dois tipos de testes de separação de água do óleo que são realizados. O primeiro é o teste de emulsibilidade, que avalia o tempo (em segundos) que a amostra leva para separar-se da água condensada proveniente de uma injeção de vapor e determina o número de emulsão.

Já o teste de demulsibilidade mede, em centímetros cúbicos por hora, a velocidade com que o óleo se separa de determinada emulsão padrão submetida a uma certa temperatura (55 ou 82°C) e revela o índice de demulsibilidade Herschel.

Mantendo a demulsibilidade dos lubrificantes

Óleos “velhos” e oxidados se emulsionam mais facilmente que os óleos mais novos, por isso, devem ser substituídos a fim de manterem sua função adequada de lubrificação dos equipamentos a que se destinam.

Utilizar óleos lubrificantes com demulsibilidades adequadas à aplicação industrial específica e manter monitoramento periódico de sua condição é fundamental para preservar o maquinário e evitar paradas não-programadas nas linhas de produção.

Ainda tem dúvidas sobre demulsibilidade em óleos lubrificantes? Deixe seu comentário abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *