Qual é o melhor fluído de corte para inox?

Para uma operação de corte em aço inox, basicamente pode se optar por dois tipos de óleos: os fluidos de corte integrais e os óleos solúveis.

Normalmente a opção de escolha entre um tipo de óleo e outro, está intimamente ligada ao tipo de operação e principalmente pela conveniência econômica. Os óleos integrais estão gradativamente sendo substituídos, mas há aplicações em que eles ainda possuem uma grande participação como nas operações de eletroerosão, de brochamento, de retificação, de trepanação ou de furação profunda.

Atualmente a grande maioria das operações de usinagem e corte em aço inox são realizadas com o emprego de óleos solúveis. Mas antes de responder ao questionamento acima, cabe esclarecer os motivos que estão levando ao aumento da utilização dos fluidos de corte solúveis na usinagem de aço inox:

Em toda operação convencional de corte, o metal é removido pela deformação e pelo cizalhamento que a ferramenta provoca sobre a peça, formando o cavaco. A ferramenta desliza sobre a face da peça metálica, gerando calor. A função do fluído para corte na usinagem é realizar uma melhora no processo, atuando principalmente através da:

  • Retirada dos cavacos na zona de corte pela ação da lavagem, reduzindo assim, os esforços na zona de cote;
  • Eliminando o calor gerado na usinagem, refrigerando a ferramenta e a peça;
  • Diminuindo o coeficiente de atrito entre a ferramenta e o cavaco, ou seja, reduzindo o desgaste da ferramenta e os esforços de corte;
  • Lubrificando as partes de contato, contribuindo assim, para uma ação anti-solda dos componentes.

Geralmente, a necessidade de lubrificação é maior para materiais difíceis de usinar como o aço inox e o lubrificante de corte tem outras funções secundárias, que também apresentam relevante importância para a operação, como:

  • A melhora do acabamento da superfície usinada;
  • A ação de proteção contra a corrosão tanto da peça usinada, como da ferramenta e do maquinário;
  • A possibilidade de se trabalhar com maior velocidade e avanço na operação;
  • Possuir melhores propriedades de limpeza e decantação, em relação aos óleos integrais convencionais;
  • Além de ter uma maior aceitação pelo operador da máquina, por o óleo solúvel gerar menos vapores tóxicos e problemas com dermatites.

Em operação, o óleo de corte solúvel deve ser fornecido fartamente e sob pressão sobre a ferramenta de corte e a peça. É particularmente importante para ferramenta de metal-duro ou de diamante, que o fluído de corte solúvel irrigue uniformemente todas as partes da ferramenta, para prevenir tanto o superaquecimento como o resfriamento súbito das mesmas (choque térmico), que pode levar à trinca e à quebra da ferramenta.

Para que se obtenha um bom resultado na operação de usinagem, é necessário que se aplique um jato eficiente na operação. O mesmo tem que ser contínuo, uniforme e os bicos devem ser de 10 a 15 mm maiores que a largura da ferramenta de corte. O ponto correto de aplicação deve ser orientado para o ponto de contado entre a ferramenta de corte e a peça. E para finalizar uma boa regulagem, o volume de óleo solúvel a ser utilizado tem que ser suficiente para garantir uma boa via útil da ferramenta de corte. Normalmente recomendam-se as seguintes orientações de volumes para as operações:

  • Em tornos manuais: de 15 a 20 L / min;
  •  Em tornos automáticos: de 200 a 400 L / min;
  •  Em fresas: de 15 a 18 L / min.

Agora que você sabe um pouco das propriedades do lubrificante de corte, podemos responder o questionamento inicial de qual é o melhor fluido de corte para inox.

Pode se utilizar um óleo solúvel de base semi-sintética. Estes fluidos aliam as propriedades refrigerantes da água com as características protetivas e lubrificantes do óleo mineral. A Cadium Lubrificantes Industriais disponibiliza ao mercado, um óleo de cote semi-sintético de última geração, formulado com aditivos de qualidade e isento de nitrito, enxofre e fenóis.

O ARMILI AL 23 é este lubrificante, que propicia um excelente trabalho na área de cote, ocasionando uma baixa formação de espuma, é resistente a ataques bacteriológicos, além de possuir uma ótima estabilidade e rendimento operacional. O ARMILI AL 23 é recomendado para todas as operações de usinagem em tornos, fresas, furadeiras, serras e retíficas para desbaste.

Agora, o que é mais moderno em termos de óleo solúvel para a lubrificação de corte de inox, é a utilização de óleos de base sintética. São lubrificantes isentos de óleos minerais e formulados como compostos petroquímicos, que permitem o equipamento trabalhar em situações críticas de elevadíssimas rotações ou em altas ou baixas temperaturas. A Cadium Óleos Lubrificantes possui em sua linha de produtos, um óleo de corte sintético de ultima geração que é o ALOCTON RPG 200.

É um óleo solúvel sintético que permite uma ótima visualização do processo produtivo e uma baixa formação de espuma. Devido a uma formulação balanceada, o ALOCTON RPG 200 permite uma boa separação do tramp-oil, além de ser um lubrificante amigo do operador, pois atende à Norma R15, que regula as atividades e operações insalubres. O ALOCTON RPG 200 é um lubrificante ecológico, pois é formulado com aditivos que não agridem o meio ambiente.

Necessita de mais informações sobre óleos solúveis e lubrificantes? Então entre em contato com a Cadium Óleos Lubrificantes. A nossa equipe técnica tem profissionais capacitados para sanar a sua dúvida e indicar o melhor produto para a sua necessidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *