AUMENTAR A VIDA ÚTIL DA EMULSÃO DO ÓLEO SOLÚVEL PARA CORTE

A água foi o primeiro líquido que se empregou para a operação de corte. Em 1883, um engenheiro americano, Frederick W. Taylor, descobriu que o jato pesado de água dirigida à borda de corte da ferramenta, permitiria um aumento na velocidade de corte de até 40%. A água tem elevado peso específico e viscosidade baixa, o que facilita sua penetração até a borda do corte, porém, suas propriedades lubrificantes são reduzidas e tem tendência a provocar corrosão na máquina e na peça.

Desde então, o trabalho da engenharia química envolvida nesse mercado, é melhorar cada vez mais as propriedades da água usada nas operações de corte, dando origem aos Óleos Solúveis para Corte.

As principais funções dos óleos solúveis para corte são:

  • Proporcionar refrigeração a altas velocidades;
  • Lubrificar, evitando assim o contato direto entre a peça e a ferramenta,
  • Ajudar a expulsar o cavaco da zona de corte;
  • Diminuir a ocorrência de micro soldagem do cavaco na superfície de saída da ferramenta (Aresta Postiça);
  • Proteger a máquina-ferramenta e a peça da corrosão atmosférica.
  • Aumentar a vida útil da ferramenta (Lubrificação e Refrigeração);
  • Redução das forças de corte devido à lubrificação;
  • Melhorar o acabamento superficial.

Uma emulsão de óleo solúvel para corte bem monitorada, irá trazer benefícios tanto para saúde dos operadores, quanto na redução do descarte precoce dessa emulsão, tornando sua empresa mais lucrativa e o ambiente de trabalho mais saudável.

Agora continue lendo este artigo e veja 3 procedimentos que irão ajudar você a aumentar a vida útil do seu óleo solúvel para corte.

QUALIDADE DA ÁGUA

A água é o principal elemento no preparo da emulsão do óleo solúvel para corte. Se a qualidade da água estiver comprometida, a performance da emulsão cairá drasticamente.

Devemos dar uma atenção especial para a água que iremos usar, visto que a mesma compõe mais de 90% da emulsão.

A dureza da água é definida pela concentração de sais de Cálcio (CaCO2). Os íons Ca e Mg, podem ser um problema sério na emulsão de óleo solúvel para corte, pois os mesmos podem gerar sabão de cálcio insolúvel, que irá obstruir filtros e linhas por onde passa a emulsão. Procure usar uma água pura, que tenha o mínimo de contaminantes.

LIMPEZA COMPLETADA DA MÁQUINA

A Limpeza da máquina é um fator determinante na vida útil da emulsão, pois se a nova emulsão for preparada num ambiente já contaminado, terá pouco tempo de duração.

Então adicione um biocida na emulsão em uso, deixe circular por algumas horas, e depois descarte esta emulsão e observe se ficou algum fragmento, incrustação ou resíduo de fungos e bactérias. Encha o tanque da máquina com água limpa e adicione biocida. Coloque para circular novamente, depois descarte esta água, enxágue bem toda máquina e certifique-se que ficou bem limpa.      

BOAS PRÁTICAS DE MONITORAMENTO DA EMULSÃO DE ÓLEO SOLÚVEL PARA CORTE

Podemos monitorar as emulsões de óleo solúvel para corte com o auxílio de um refratômetro, que lhe dará a concentração de óleo solúvel para corte dentro da sua emulsão. Devemos monitorar também o pH, a dureza da água, além da contagem de fungos e bactérias contidas na emulsão.  

Mantenha esse controle periódico da sua emulsão, isso irá ajudar a prevenir alterações que possam levar à perda da sua emulsão e prevenir danos à sua produtividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *